Dois jovens foram presos após confessarem ter roubado e torturado um adolescente de 17 anos, durante uma tentativa de latrocínio [roubo seguido de morte] na cidade de Nova Viçosa. A vítima sobreviveu após se fingir de morta.

A dupla, que amarrou o menor a uma árvore, teve ajuda de um adolescente, também de 17 anos, para cometer o crime. Segundo a polícia, o crime aconteceu depois que a vítima marcou com os criminosos para comprar uma arma ilegalmente por R$ 700.

O delegado Marco Antônio Neves, responsável por investigar o caso, disse que o crime aconteceu no dia 8 de março. A dupla foi presa nesta última quarta-feira (25), após prisão preventiva ser decretada pela Justiça.

A tentativa de latrocínio aconteceu depois que o adolescente entrou em contato com Clériston Melo Gomes, de 20 anos, por telefone, para negociar a compra de uma arma. “A vítima queria comprar o revólver para se proteger, após ter sido ameaçada por causa de um namoro”, disse o delegado.

Após acertarem a compra do revólver por R$ 700, a vítima e Clériston marcaram em um local deserto para realizarem a transação. Neste lugar, o suspeito esperou a vítima acompanhado do irmão, de 17 anos.

Conforme as investigações, o adolescente entregou o dinheiro a Clériston, que o chamou para fumar um cigarro. O adolescente teria desconfiado pois Clériston não entregou o revólver comprado. O suspeito, então, fez sinal para Fábio Ferreira de Souza, de 19 anos, que estava escondido, agir. Fábio apareceu por trás da vítima e o estrangulou.

Depois disso, ele, Clériston e o irmão começaram a agredir o adolescente com um martelo. De acordo com o delegado, o trio golpeou a vítima na cabeça e na garganta. Clériston teria usado também uma chave de fenda para agredir o menor no pescoço.

Por achar que o adolescente estava morto, o trio amarrou ele a uma árvore e saiu para comprar gasolina, na intenção de atear fogo no corpo da vítima. O delegado contou que os suspeitos chegaram a conferir a respiração do adolescente com a lanterna de um celular, mas ele se fingiu de morto para escapar.

Depois que o trio deixou o local, a vítima conseguiu se desamarrar e correu para pedir ajuda. Ele chegou até a casa de um homem que o socorreu para o Hospital Municipal de Teixeira de Freitas (HMTF), em estado grave, onde ficou internado com risco de morte.

Na delegacia, Clériston e Fábio disseram ao delegado que armaram a emboscada para que o menor “deixasse de ser bobo”. Conforme Neves, o objetivo do trio era matar o adolescente após roubá-lo.O adolescente irmão de Clériston, que também participou do crime, chegou a negar para a polícia que esteve no local. Depois, ele mudou a versão e afirmou que estava, mas que não participou do crime e teria ficado apenas olhando a ação.

O delegado, no entanto, contestou a versão do menor e disse que a vítima afirmou a participação dele no crime. Os dois suspeitos presos também confirmam a participação do adolescente. O fato foi comunicado ao Ministério Público da Bahia, e o delegado informou que aguarda manifestação do órgão para adotar medidas cabíveis.

Clériston e Fábio foram levados para o presídio de Teixeira de Freitas, onde aguardam julgamento.

A vítima foi levada ao estado do Espírito Santo para continuar o tratamento dos traumas ocasionados pela lesão na garganta por causa da possibilidade de sequelas. O delegado não informou se ele foi transferido pela unidade ou levado pela família. (Informações: G1 Bahia)

Comentários no Facebook