sábado , 22 julho 2017

Derrota da fibria: TJES mantém proibição de novos plantios de eucalipto no extremo norte do Estado

eucaliptoO Tribunal de Justiça do Estado negou recurso à Aracruz Celulose (Fibria) e manteve a decisão em primeira instância de ação civil pública que proíbe novos plantios de eucalipto nos municípios de Mucurici e Ponto Belo, no extremo norte do Estado. Além da empresa, está impedida de se expandir para a região a Suzano Papel e Celulose.

O relator do agravo foi o desembargador Manoel Alves Rabelo. Ele considerou a decisão devidamente fundamentada e amparada pela prova técnica apresentada aos atos, “razão pelo qual não se vislumbra, em juízo de cognição sumária, a possibilidade de reformá-la”.
Rabelo também se valeu do princípio da precaução, o que “pressupõe a inversão do ônus probatório, competindo a quem supostamente promoveu o dano ambiental comprovar que não o causou ou que a substância lançada ao meio ambiente não lhe é potencialmente lesiva”.
Para o desembargador, somente após farta prova, é que será possível conhecer a área segura para exploração, afastando-se o potencial risco ambiental. “Por ora, permanece a situação de incerteza a atrair a incidência do princípio da precaução, a fim de serem evitados danos ambientais de maiores proporções, irreparáveis ou de difícil reparação”.
O voto do relator foi seguido à unanimidade pelo colegiado da Quarta Câmara Cível. A decisão é do dia 29 de fevereiro último. Provocadas durante a tramitação do processo, as prefeituras de Ponto Belo e de Mucurici se abstiveram de se manifestar sobre a questão.
A proibição foi determinada pelo juiz substituto Miguel M. Ruggieri Balazs, da Vara Única de Mucurici, em dezembro de 2014, atendendo à ação do promotor Edilson Tigre. Em caso de desobediência, a multa poderá ser de R$ 15 mil a R$ 2 milhões por dia, podendo gerar ainda a suspensão das licenças para os plantios, expedidas pelo Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf) e Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema).
Só o projeto de expansão da Aracruz Celulose (Fibria) compreende pelo menos 17 mil hectares  nos municípios de Pinheiros, Montanha, Ponto Belo e Mucurici, pertencentes ao Grupo Simão, que serão explorados durante 14 anos pela empresa. Já a Suzano quer  plantar  pelo menos 6,5 mil hectares na região.
Impactos
Na ação acatada pela Justiça, o promotor descreve que serão criados “massivos e seríssimos danos ambientais e sociais” caso os projetos sejam executados. Ele evidencia que a paisagem natural que atualmente existe nos municípios será drasticamente impactada pelos possíveis eucaliptais, com risco maior de êxodo rural.
Também é manifestada preocupação com relação ao manejo de mudas clonadas, com o grande uso de químicos agrícolas (agrotóxicos e fertilizantes) e transporte das toras pelas vias estreitas dos municípios, que margeiam casas e prédios comerciais.
“A região do Bloco II e III sofre ao longo de um ano grande período de estiagem e, por isso, a população, a fauna, a flora têm sofrido grandes impactos pela escassez de água (êxodo rural, mortandade e extinção de animais silvestres, empobrecimento da agropecuária), por esta razão, é perceptível que os cidadãos de Mucurici e Ponto Belo estão extremamente em pânico com a possibilidade de implantação da atividade de silvicultura nesta região”, explica o promotor.
O documento também evidencia o aumento do desemprego que fatalmente ocorrerá com a mecanização do corte e do plantio dos eucaliptais, situações em que as máquinas substituem o ofício dos trabalhadores. Além disso, relata que as empresas já têm em seus quadros empregados treinados para operar as máquinas, sequer restando opções de qualificação para a população local.
O promotor destacou ainda que a concentração de riquezas impactará de forma irreversível a população local, alterando o cotidiano e prejudicando suas tradições. Essa realidade já é observada nos municípios que tiveram territórios usurpados e grilados para os plantios dos eucaliptais.
Fonte: Seculodiario

Além disso, verifique

Acidente com ônibus deixa ao menos dez mortos na BR 418 no Vale do Mucuri

Um grave acidente com um ônibus de viagem deixou ao menos dez pessoas mortas na …

Comentários no Facebook