quarta-feira , 26 julho 2017

Bahia: PSOL oficializa candidatura da primeira transexual a disputar uma prefeitura no Brasil

transd-1200x545_cApós inúmeras discussões internas, o Partido Socialismo e Liberdade decidiu, por unanimidade, durante reunião do Diretório Municipal de Alagoinhas, neste final de semana (12\13), a pré-candidatura da transexual Samara Braga à prefeitura da cidade. O PSOL oficializa o lançamento da primeira candidata “trans” a disputar uma prefeitura no Brasil. Samara Braga, contou com o apoio do Presidente Estadual do PSOL, Ronaldo Santos, que esteve presente na reunião e foi decisivo para a escolha da Pré Candidata.

Samara Braga destacou a importância de Alagoinhas ter uma candidatura que levante as bandeiras da comunidade LGBT e da população negra do município, dentre outras, que nunca teve representatividade no Legislativo e no Executivo da cidade.

Durante o evento, a pré-candidata aproveitou a oportunidade para lançar, em primeira mão, a proposta de um Projeto-Lei, caso seja eleita, que será encaminhado à Câmara Dos Vereadores local, exigindo que as empresas instaladas em Alagoinhas sejam obrigadas a contratar a mão-de obra da cidade e a fornecer vagas às travestis e transexuais com o objetivo de promover inclusão social e retirá-las do mundo da prostituição e igualdade de oportunidade para a população negra, desta que é considerada uma das cidades de maior população negra da Bahia.

“ Elas precisam ter vagas no mercado de trabalho para que não continuem recorrendo à prostituição como a única fonte de renda e de sobrevivência. Meu projeto vai defender que elas possam trabalhar e exercer livremente a identidade de gênero sem sofrer retaliações e preconceito”, pontuou. De acordo com Samara, no universo da prostituição, a população LGBT corre risco de violência motivada pela transfobia, contrair diversas doenças sexualmente transmissíveis e, quando envelhecem, ficam sem nenhum tipo de amparo do Estado brasileiro.

A transexual ressaltou que no período eleitoral não irá se restringir às reivindicações dos gays, lésbicas, transexuais, simpatizantes e travestis. Segundo ela, a plataforma da campanha não vai secundarizar nenhuma bandeira e pretende lutar em prol da população mais pobre da cidade, abordar pautas sociais relativas à habitação, saúde, educação, transporte e ampliação da cidadania dos alagoinhenses. “ Os outros candidatos não representam em totalidade os interesses dos setores excluídos e marginalizados de Alagoinhas! Visam apenas favorecer as elites e os grandes empresários!”, pontuou a primeira pré-candidata a participar da quebra-de braço ao cargo de prefeita do Município pelo PSOL.

A luta por moradia popular e digna, segundo Sâmara Braga, será uma das principais bandeiras levantadas durante as eleições. “Vou lutar para trazer dignidade não apenas aos moradores da Vila São Pedro mais a todos os cidadãos que precisam ter acesso à moradia digna e à qualidade de vida”, frisou

A pré-candidata fez críticas à ausência de políticas públicas nos conjuntos habitacionais pertencentes ao Programa “Minha Casa, Minha Vida”, especialmente, o projeto da Vila São Pedro, onde a transexual reside. Segundo ela, a proposta foi implementada visando apenas o apelo eleitoral sem levar em consideração as reais necessidades das famílias.

“Eles construíram as casas em um local de difícil acesso, isolado, na periferia. Não temos posto de saúde próximo, saneamento básico (rede de esgoto), a iluminação é precária, precisamos de pavimentação asfáltica e os pontos de ônibus ficam muito longe. Na maioria dos locais, as pessoas ficam debaixo de sol e chuva esperando ônibus que levam muitas vezes mais de 1 hora para chegar, pois existem apenas dois pontos de ônibus concretos”, denunciou. O Presidente do Diretório de Alagoinhas, Catarino Pinto, também participou da reunião e apoiou a candidatura de Braga. (Da redação TN)

Além disso, verifique

Polícia Militar prende acusado de assaltar estabelecimento comercial em Itabatã, Distrito de Mucuri

Na noite deste domingo, dia 23 de julho, após ser acionada pelo telefone 190, a …

Comentários no Facebook