quarta-feira , 26 julho 2017

EDP orienta seus clientes a decorar de forma econômica e segura no período de festas de fim de ano

ecelsaAs festas de fim de ano estão chegando, momento em que muitas pessoas decoram suas residências e estabelecimentos comerciais com árvores de Natal e enfeites luminosos, que encantam crianças e adultos.

Mas, para evitar que a festa não cause acidentes ou represente um susto pelo aumento da conta de luz, a EDP, distribuidora de energia elétrica do Espírito Santo, orienta sobre a instalação e utilização correta dos pisca-piscas e outros equipamentos elétricos utilizados na decoração natalina.

As principais dicas para uma decoração interna e externa mais econômica e segura envolvem pontos como isolamento elétrico adequado, instalação de lâmpadas de LED e atenção com sobrecarga em tomadas e extensões. Para isso, os cuidados devem começar na hora da compra do material. O ideal é escolher itens de qualidade, para garantir o melhor isolamento elétrico possível. Por isso, recomenda-se a compra de produtos regulamentados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), os quais trazem em sua embalagem a comprovação dos requisitos obrigatórios de qualidade e segurança.

Em relação aos pisca-piscas, a sugestão é investir naqueles com lâmpadas de LED, que além de mais bonitas e econômicas, são eficientes, duráveis e, por isso, mais ecologicamente corretas. Para instalação em área sujeita a chuva ou alagamento os enfeites devem ser impermeáveis, pois são mais seguros e duram mais.

Na embalagem do produto também é importante avaliar a potência em watts (W), que corresponde à carga demandada. Isso por que, quanto maior a potência, maior será o consumo do enfeite de Natal. “Equipamentos de potência elevada devem ser colocados em tomadas exclusivas, minimizando a probabilidade de sobreaquecimento do circuito elétrico interno e a fuga de corrente e, consequentemente, risco de acidentes e aumento na conta de luz”, diz o gestor executivo da EDP, Vilmar Teixeira de Abreu.

Um curto-circuito na rede elétrica pode ser ocasionado pela má utilização dos equipamentos ou por seu uso prolongado em uma mesma tomada. “Um dos erros mais comuns cometidos pelos consumidores é o uso exagerado de extensões e emendas malfeitas ou sem o isolamento adequado”, alerta Abreu.

Confira mais alguns cuidados importantes:

Ø  Para não ocorrer sobrecarga de energia, busque a orientação de um eletricista, que vai calcular o que pode ou não ser ligado. Se necessário, o profissional vai equilibrar o circuito da residência por meio de uma pequena adequação na instalação elétrica.

Ø  Muitas árvores de Natal são feitas de arame, e por ser altamente condutor de energia esse material deve estar bem isolado para impedir energização acidental.

Ø  Os fios desencapados provocam choques, curtos-circuitos e, às vezes, incêndios. Passar fios por baixo de tapetes ou por trás de cortinas também pode causar acidentes.

Ø  Antes de substituir lâmpadas queimadas dos enfeites, desligue os equipamentos da tomada.

Ø  Desligar os enfeites luminosos antes de dormir ou sair de casa pode contribuir para a redução do valor da conta de energia e evitar acidentes.

Ø  Para enfeites em áreas externas, verifique a proximidade com a rede de energia da EDP, pois, no caso de chuva forte com vento, a iluminação decorativa instalada pode tocar a rede elétrica e provocar sérios acidentes.

Ø  Para instalação de conjuntos luminosos de potência mais elevada, em fachada de prédio, praças e avenidas, contrate o serviço de um engenheiro, técnico ou eletricista para dimensionar a fiação e a proteção do circuito de acordo com a carga a ser ligada.

Em caso de acidentes ou ocorrências na rede elétrica, entre em contato imediatamente com a Central de Atendimento da EDP, no 0800 721 0707, com ligação gratuita, 24 horas por dia, ou por meio da Agência Virtual, no www.edp.com.br.

Além disso, verifique

Em nota Fibria diz que não descumpriu acordo com pescadores em Caravelas

A Fibria mantém um diálogo aberto com as comunidades pesqueiras e acredita que este é …

Comentários no Facebook