quarta-feira , 26 julho 2017

Metade do país acha que “bandido bom é bandido morto”

levantamentod-600x330“Bandido bom é bandido morto”. Essa é a percepção de metade da população das grandes cidades brasileiras, de acordo com pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira, 5. O levantamento, encomendado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, aponta que 50% dos 1.307 entrevistados em 84 municípios concordaram com essa afirmação, enquanto 45% discordaram.

Três por cento não concordam nem discordam e 2% não souberam responder a pergunta. Como a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou menos, há um empate técnico.

No Nordeste, há um desempate: 52% concordam e 44% discordam. Mesmo com a margem de erro, o percentual que aprova a morte de bandidos é superior. Em um recorte por gênero, 52% concordam e 45% discordam entre os homens. Já entre as mulheres há um empate técnico (48% a favor e 46% contra). A separação por faixa etária chama ainda mais a atenção. Enquanto a maioria dos jovens entre 16 e 24 anos (53%) discorda deste lema e 42% concorda, o cenário muda entre o público com 60 anos ou mais (65% são favoráveis e 30% contra).

Também há essa variação a depender da cor da pele dos entrevistados. Entre os brancos, 53% acham que bandido deve ser morto e 41% são contra. Já entre os negros, 50% discordam e 44% concordam com a morte de criminosos.

O Fórum Brasileiro de Segurança Pública avalia o resultado da pesquisa geral positivo, já que metade é contra essa afirmação. Portanto, para a entidade, há espaço para construção de políticas públicas.

Uma das mudanças possíveis seria na cultura de enfrentamento de criminosos de forma violenta. Para a instituição, a ideia de “bandido bom é bandido morto” fomenta a letalidade nas ações policiais. (A Tarde)

Além disso, verifique

Polícia Militar prende acusado de assaltar estabelecimento comercial em Itabatã, Distrito de Mucuri

Na noite deste domingo, dia 23 de julho, após ser acionada pelo telefone 190, a …

Comentários no Facebook