quarta-feira , 23 agosto 2017

Athylla Borborema é um dos 10 escritores baianos convidados para a 17ª Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro

livrosd-600x330Saiu a lista das 150 editoras e dos 950 autores nacionais e internacionais convidados deste ano para a 17ª Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, que participarão como expositores no evento.

Este ano a feira homenageia o país da Argentina e serão comercializados mais de 300 mil títulos diferentes durante os 11 dias do evento. Espera-se para a edição deste ano da Bienal 800 mil pessoas e 3,8 milhões de livros vendidos.

Calcula-se que a Bahia possui cerca de mil artistas literários, mas somente 306 estão catalogados e devidamente inscritos na União Baiana de Escritores, e no Dicionário de Escritores Contemporâneos da Bahia e em 2015 somente dez escritores baianos foram selecionados para a Bienal deste ano na capital carioca.

O jornalista e escritor Athylla Borborema, editor-chefe do portal de notícias Teixeira News, acaba de entrar na lista publicada na manhã desta sexta-feira (31/07), como um dos 10 baianos convidados para expor suas obras literárias na 17ª Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, que acontece de 3 a 13 de setembro de 2015, no Riocentro, na Barra da Tijuca. Athylla Borborema está entre os 10 baianos selecionados e o único do interior da Bahia incluído na lista.

Seus livros estarão expostos no Stand da Editora Perse, de São Paulo, que vai comercializar as obras e organizar sessões de autógrafos de dezenas de autores do país, inclusive do renomado poeta baiano Valdeck Almeida de Jesus, natural de Jequié e radicado em Salvador desde 1993, que ganhou o mundo com os seus 17 livros publicados e traduzidos para vários idiomas, além da coautoria em outras 110 obras literárias. Já Athylla Borborema terá cinco obras lançadas durante o evento, das quais quatro inéditas.

Além do livro de poesias “Folia das Palavras”, serão lançados “Comunicação na Bandeja”, que disserta sobre comunicação interpessoal, nascido de uma missão acadêmica do seu doutoramento e contém 190 páginas; “Do Assessor de Imprensa Ao Assessorado”, derivado da sua tese de mestrado em 2013 e contém 200 páginas; “Infância Violentada”, um livro documentário sobre a prostituição infantojuvenil no Brasil com 200 páginas e “A menina do céu cor de rosa”, obra clássica e emocionante baseada em fatos reais com 90 páginas.

No último dia 16 de maio, o jornalista Athylla Borborema foi empossado na Academia Carioca de Letras e Artes de Cabo Frio, ocasião em que recebeu três grandes homenagens do mérito cultural oferecidas pelo Ministério da Cultura e pelo Pacto Global da ONU. Além do “Título de Cabaleiro COMENDADOR da Real Ordem Rei Ramiro II de Leão”, oferecido pela Augustíssima e Soberana Casa Real Reis de Leão e Imperial dos Godos de Oriente do Rio de Janeiro.

Já em 13 de junho, ele foi também eleito para uma cadeira da Academia de Letras, Música e Artes de Salvador (ALMAS), cuja posse acontece no sábado do próximo dia 26 de setembro, no auditório do Gabinete Português de Leitura da Bahia, na Praça da Piedade, em Salvador. “O ano de 2015 ainda não acabou, mas já pode ser considerado decisivo na trajetória de Athylla Borborema, que, além de publicar vários títulos, foi empossado em instituições literárias e culturais relevantes do país. Parabéns, amigo, companheiro e confrade”, festejou o celebrado poeta e jornalista Almir Zarfeg. (Por Ronildo Brito).

Além disso, verifique

Polícia Civil de Nova Viçosa age rápido, desvenda crime cruel e prende acusados escondidos em Posto da Mata

Sob o comando da delegada Waldiza Fernandes, a equipe do Serviço de Investigação (SI), da …

Comentários no Facebook