quarta-feira , 29 março 2017

Médicos estão preocupados com possível fechamento do centro cirúrgico do hospital de Linhares

HGLMédicos ortopedistas que trabalham no Hospital Geral de Linhares (HGL), no Norte do Estado, estão preocupados com a possibilidade do fechamento do centro cirúrgico do hospital a partir de julho. Eles afirmam que faltam materiais básicos para a realização de cirurgias.
“Não estão sendo mais feitas cirurgias aqui somente por falta de material cirúrgico. Não por falta de equipe médica nem de salas de cirurgia”, afirmou o ortopedista Sérgio Sales.
Segundo os ortopedistas, no HGL eram feitas quase 100 cirurgias de média e alta complexidade todos os meses. Hoje esse número não chega a 20. Somente as cirurgias mais simples são feitas no hospital.
“Pequenas cirurgias ainda existem e são cirurgias que não demandam de material ortopédico (placa, parafuso). Então, são cirurgias simples, cistos, tendões, que, na verdade, não é nem a grande demanda nossa, que são as fraturas”, informou o ortopedista Werther Gomes.
Sales explicou que são os pacientes mais graves, vítimas de acidente, “que necessitam de uma cirurgia mais rápida para diminuir o risco de sequela. Atualmente, esses pacientes são atendidos, imobilizados e ficam aguardando vaga para serem transferidos para Vitória”.
O problema é o tempo de espera desses pacientes e as consequências disso. “A média de espera é de 15 dias, alguns pacientes até 30, 40 dias de espera, internado. E acaba ocupando o leito e fazendo essa super lotação”, disse o ortopedista Ricardo Smarzaro.
“Aumentou o tempo de tratamento dos pacientes que ficam internados. Às vezes duas, três semanas, esperando essa transferência que nem sempre é fácil conseguir. E isso aumentou muito a quantidade de sequelas e pacientes com limitações e deformidades para sempre”, finalizou o ortopedista Rafael Bacelio.
A situação do hospital foi denunciada ao Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES). O órgão, por meio da Promotoria de Justiça de Linhares, informou que recebeu a denúncia e abriu procedimento para investigar o caso. Disse ainda que realizará reunião com os médicos para tratar do assunto e requisitará documentos e informações junto à Secretaria Municipal de Saúde.
A Prefeitura de Linhares informou que as cirurgias ortopédicas não estão sendo mais sendo realizadas no hospital. As cirurgias eletivas são devidamente reguladas junto ao Sistema de Regulação da Secretaria de Estado da Saúde e nenhum paciente fica sem atendimento. Já as cirurgias de urgência e emergência são atendidas no Hospital Rio Doce por meio de um contrato que existe entre o município e o Rio Doce.
Em relação à possibilidade de fechamento do Centro Cirúrgico, o município disse que, até o momento, não há oficialmente nenhuma informação que confirme isso.
500 pacientes por dia
Segundo a Prefeitura de Linhares, a média diária de atendimento no HGL gira em torno de 450 a 500 pacientes. “Um estudo realizado na unidade apontou que 52% de todos os procedimentos médicos do hospital envolvem pacientes que não moram em Linhares.
Eles chegam dos demais mais municípios do norte do Espírito Santo, além do sul da Bahia e do leste de Minas Gerais. Mesmo assim, nenhum paciente deixa de ser atendido”, informou a nota.
(Com informações de Erika Carvalho)

Além disso, verifique

MANOELZINHO

Manoelzinho concede aumento superior ao piso nacional aos professores de Nova Viçosa

O prefeito de Nova Viçosa, Manoel Costa Almeida, o “Manoelzinho da Madeira” (DEM), concedeu nesta …

Comentários no Facebook