segunda-feira , 27 março 2017

Câmara de Linhares aprova contas do ex-prefeito Guerino Zanon de 2011

camara_linharesPor nove votos a quatro, a Câmara de Linhares aprovou as contas do ex-prefeito Guerino Luiz Zanon referentes ao exercício de 2011, na sessão ordinária desta segunda-feira (18/04). A maioria dos vereadores seguiu o parecer prévio com ressalvas do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo (TCE-ES).

A defesa do ex-prefeito foi feita pelo representante Bruno Marianeli. Ele pontuou quatro assuntos questionados no relatório relativo às contas. Sobre a ausência de processo licitatório, a contratação abordada não foi feita na gestão 2011, mas ainda na administração de 2007. Quanto à manifestação sobre manobras orçamentárias, explicou que orçamento não é a mesma coisa que item financeiro.

Voltou a falar que os técnicos do TC não viram irregularidades nessa questão.   Marianeli explicou também a comprovação de limites mínimos à aplicação de recursos nas áreas de saúde e educação. Segundo ele, a área técnica do TC atesta os limites aplicados. Portanto, não houve desvio ou falha no cumprimento da lei.

O ponto que demandou mais explicação foi o repasse da administração do recolhimento do INSS dos servidores públicos para o Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos do município( IPALSI).

De acordo com Bruno Marianeli, no referido período, a prefeitura nunca ficou sem a certidão de comprovação, o que poderia trazer prejuízo para o município, porque não houve irregularidade no recolhimento.

“Houve apenas a necessidade de um ajuste contábil”, explicou.   Ele apresentou documentos atestando o argumentando para “finalizar quaisquer dúvidas sobre supostas irregularidades no recolhimento da previdência do município no exercício de 2011”.

A votação “Os parlamentares têm a opção de mudarem o seu voto, as suas concepções”, disse  o presidente da Câmara, vereador Miltinho Colega (PSC).

A Câmara faz o papel institucional. Ela tem a obrigação de julgar as contas de todos os prefeitos.   Sobre a questão da previdência dos servidores, Miltinho lembrou que a Comissão de Finanças da Câmara, presidida pelo vereador Zeca Correa (PPL), deu o parecer pela rejeição na votação do ano passado, porque identificou as dívidas no IPASLI.

“Mas a defesa feita hoje pelo representante do ex-prefeito foi esclarecedora para que pudesse ajudar o processo democrático que é o julgamento decidido pelo parlamento”, disse.

Votaram pelo parecer favorável os vereadores Amantino Pereira Paiva (PMDB), Fabrício Lopes (PMDB), Joel Celestrini (Solidariedade), Renato Rangel (PROS), que já eram a favor mas não estiveram presentes na última votação. Complementaram os votos positivos às contas Tarcísio Silva (PSB), Estéfano Silote (PHS), Marcelo Pessoti (PPS), Antônio Teixeira (PSC), e Zeca Correa (PPL).   O vereador José Cardia (PSD), que não esteve na última votação por participar de uma audiência no mesmo horário, votou pela rejeição das contas. Mantiveram o voto contrário os vereadores Miltinho Colega (PSC), Pastor Miravaldo (PSC), e Edimar Vitorazzi (PSC).   As contas relativas a 2011 já haviam sido votadas pela Câmara. Em 15 de abril de 2015, os vereadores rejeitaram o parecer. No último dia 31 de março, o juiz Thiago Albani Oliveira acatou pedido da defesa do ex-prefeito Guerino Zanon e anulou a sessão do ano passado. Uma nova sessão deveria ser realizada concedendo mais tempo de análise por parte dos parlamentares.   “Decisão judicial não se discute, se cumpre. E é o que a Câmara fez imediatamente. Quando foi notificada, já na segunda-feira seguinte marcou a data de julgamento para dar a oportunidade dos parlamentares se manifestarem sobre o parecer das contas”, disse o presidente do legislativo linharense.

O legislativo Segundo análise do vereador Miltinho,  a política tem mudado muito. Agora mesmo, a Câmara Federal decidiu afastar a presidente da República. A política precisa de novos ares. O parlamento é isso.

Tem opiniões divergentes, mas precisam ser respeitadas.   Em Linhares, os 13 vereadores representam os 170 mil habitantes do município.

“A expressão deles é o que a população deseja, desde que obedeçam as leis, sem infringir a Lei de Responsabilidade Fiscal. Penso que é a democracia que prevalece quando há uma decisão de parlamento como aconteceu hoje”, finalizou.

O auditório da Câmara estava lotado. Entre os visitantes, estavam alunos da oitava série da Escola Sesi de Linhares. Foram acompanhar os trabalhos legislativos como atividade escolar.

Além disso, verifique

MANOELZINHO

Manoelzinho concede aumento superior ao piso nacional aos professores de Nova Viçosa

O prefeito de Nova Viçosa, Manoel Costa Almeida, o “Manoelzinho da Madeira” (DEM), concedeu nesta …

Comentários no Facebook