quarta-feira , 29 março 2017

Jovem filma abordagem da PM e diz que foi espancado por dois policiais em Caravelas; um dos agressores seria parente de ex-prefeito

judsond1A ação dos policiais militares, que segundo a vítima chamariam Renato e Damião, sendo um deles parente de um ex-prefeito da cidade, aconteceu na madrugada deste último sábado, dia 6 de fevereiro, no final de mais uma programação do Carnaval de Caravelas. O jovem agredido, Judson Sabadini da Silva, de 26 anos, morador de São Paulo-SP., mas com familiares em Barra de Caravelas, relata que ao sair do local da festa pra ir dormir, encontrou com um amigo que dirigia um veículo nas imediações da Câmara de Vereadores de Caravelas e no momento que os dois começaram a conversar, surgiu um carro logo atrás deles, onde dois policiais à paisana, ordenaram que ambos saíssem, pois eles queriam passar.

Como o amigo teria demorado um pouco para arrancar o carro os militares sem farda desceram e começaram a agredi-lo. Achando desnecessária a violência policial, Judson afirma que começou a filmar com o seu celular. Pouco tempo depois, quando levava uma amiga à Rodoviária de Caravelas, conta o rapaz, os dois policiais à paisana, desta vez acompanhados dos policiais fardados Renato e Damião, apareceram rapidamente, quando os mesmos passaram a lhe agredir com rasteira, socos e pontapés, deixando em seu corpo vários hematomas. O jovem também diz que foi arrastado pelo calçamento e já no Pelotão da PM, além de asfixiado, os PMs ameaçaram atirar no seu aparelho Iphone.

Com o jovem dominado e sendo agredido os policiais teriam perguntado a ele, se queria ir embora, ou então seguir direto para a Delegacia da Polícia Civil (DEPOL). Inicialmente Judson, que é filho de um taxista caravelense, pediu pra ir embora, mas como sentia fortes dores, especialmente na região do tórax, seguiu para o Hospital Municipal de Caravelas, onde fez um exame de imagem. O médico de plantão, que ainda não foi identificado, teria se negado a assinar o laudo do raio X.judsond2-1200x545_cAinda neste sábado, dia 6 de fevereiro, com apoio de amigos e familiares, Judson Sabadini da Silva, de 26 anos, procurou a Delegacia da Polícia Civil de Caravelas (DEPOL), onde formalizou a ocorrência 133/2016, relatando a humilhação e agressão. O ataque teria sido acompanhado por um sub-oficial, que não teria feito nada diante da agressão. Ele também gravou áudios e fez fotografias das lesões e os envio aos principais meios de comunicação da região. Judson ainda conta que R$ 100 e o seu óculos de grau teriam sido confiscados pelos policiais, que não fizeram a devolução.

Na manhã deste domingo, dia 7, o Teixeira News conseguiu apurar que foi expedida guia para exames de lesões corporais, procedimento que deve ser realizado no Departamento de Polícia Técnica de Teixeira de Freitas (DPT). Está sendo aguardada uma entrevista do comando da Polícia Militar de Caravelas, sobre a denúncia do espancamento, já que este não seria o comportamento adequado da força de segurança que atua numa cidade turística. Ainda não foi informado sobre as Companhias que os dois policiais acusados são lotados e se ficar comprovada a agressão, os mesmos devem responder a inquéritos militares. (Por Ronildo Brito – MTb-0342/BA)

Além disso, verifique

terrid4-1200x545_c

Secretário de Desenvolvimento Rural se reúne com gestores municipais em Teixeira de Freitas

Na manhã desta quarta-feira (22/03), o secretário de Estado de Desenvolvimento Rural da Bahia, Jerônimo Rodrigues, …

Comentários no Facebook