quarta-feira , 18 janeiro 2017

São Mateus: Professor é atacado por tubarão enquanto surfava na praia de Guriri

ataque tubarao guririUm professor do Ifes de São Mateus, no Norte do Estado, levou um susto na manhã desta quinta-feira (7) quando surfava na praia de Guriri, no trecho que fica em frente à capelinha do balneário. Um tubarão mordeu a prancha de Antonyo Zancanella e, por sorte, a perna dele não foi atingida.
Segundo o sargento Santos, do Corpo de Bombeiros de São Mateus, a mordida arrancou um pedaço da quilha e arranhou a rabeta da prancha, próximo à quilha. “Chegou a puxar a rabeta para baixo. O surfista percebeu o puxão, remou rápido para sair do local e pegou uma onda. Ele saiu bem assustado da água e veio informar para a gente”.
Santos disse que, pelos danos na prancha e pela forma que o surfista saiu da água, bastante assustado, a suspeita é de que o ataque tenha sido feito por um tubarão.
“Outro tipo de peixe não atacaria dessa forma”.
Esse foi o primeiro ataque de tubarão registrado na praia de Guriri, de acordo com o sargento. Ele disse também que não foi possível identificar a espécie do tubarão nem o motivo do ataque, já que ainda não se sabe o que provocou a aproximação desse animal na praia. (Com informações de Serli Santos, TV Gazeta Norte)
Ciclone pode ter provocado ataque
Raro no litoral do Espírito Santo, o ataque do tubarão em São Mateus pode ter sido provocado pela presença de um ciclone subtropical que atua no Oceano Atlântico, na altura do Norte do Espírito Santo e do Sul da Bahia.
Segundo o professor de Oceanografia da Ufes, Agnaldo Martins, o fenômeno deixa as águas marinhas mais turvas. Com a visibilidade prejudicada, as espécies de tubarões têm mais dificuldade para identificar as presas, que geralmente são peixes.
“Nos dois últimos dias, o ciclone gerou crescimento de potência das ondas, o que aumenta  a turbidez da água. A agitação suspende material do fundo,  a água fica mais turva e o tubarão não consegue identificar direito o que é presa e o que não é”, explica o professor.
De acordo com o especialista, ataques de tubarão são incomuns. A presença das espécies, entretanto, é considerada normal em todo o litoral brasileiro, inclusive no Espírito Santo
“A gente não ouve muito falar porque ataque de tubarão é muito raro no Brasil e no mundo inteiro. No mundo todo, acontecem cerca de 10 casos fatais por ano”, finaliza.

Fonte: Gazeta Online

Além disso, verifique

face_travesti_2_x

Travesti é furtada em motel e posta fotos do cliente por vingança

Uma travesti que trabalha como garota de programa em Praia Grande, no litoral de São …

Comentários no Facebook