A reunião serviu ainda para se discutir sobre o VII Encontro Baiano de Gestores Municipais de Assistência Social, que vai acontecer de 24 a 26 de fevereiro, no Centro Cultural e de Eventos do Descobrimento, em Porto Seguro. Considerado o maior evento da assistência social do estado, o encontro é organizado pelo Colegiado Estadual de Gestores Municipais de Assistência Social do Estado da Bahia (COEGEMAS-BA).secd1O secretário Bida defendeu a importância de que os secretários se mobilizem no sentido de organizar as questões que serão levadas para o encontro. O secretário também fez questão de lembrar aos participantes sobre o Encontro Regional de Gestores do Bolsa Família que acontece em Itamaraju no mês de março. Houve também a discussão sobre a descentralização das reuniões dos secretários desta região.

Atualmente as reuniões acontecem em Teixeira de Freitas, mas com consenso alcançado, parte dos encontros vai continuar acontecendo em Teixeira de Freitas e os demais em outros municípios da regional, de dois em dois meses, com a realização de oficinas de capacitação para os técnicos dos programas de cada município.secdOs secretários definiram que nessa reunião foi tratado, entre outras coisas, a organização das oficinas que serão disponibilizadas no encontro de Porto Seguro, preferencialmente com técnicos da regional de Teixeira de Freitas. Lá também será definida a pauta que será encaminhada para o encontro do COEGEMAS-BA. Depois de duas horas e meia de ampla discussão sobre vários assuntos, entre estes, a lei de regulamentação do Sistema Único de Assistência Social – SUAS – nos municípios da região, a reunião foi encerrada, com a próxima, definida para o dia 17 de fevereiro, em Teixeira de Freitas.

Desenvolvimento Social é uma pasta muito importante para a gestão, porque coordenada programas como CRAS, CREAS e Bolsa Família, entre outros. No caso específico do município de Itamaraju, o trabalho dos técnicos da Secretaria no cadastramento do Benefício de Prestação Continuada (BPC), por exemplo, possibilita a circulação de aproximadamente R$ 7 milhões na economia do município. Se acrescidos os valores pagos aos beneficiários do Bolsa Família, esse valor pode chegar próximo de R$ 9 milhões. “Por isso a pasta do Desenvolvimento Social deve ser tratada como de fundamental importância para uma boa gestão”, defendeu o secretário Bida, durante a reunião. (Por Nilson Chaves)